Monstros mitológicos

Cerbero - Cão com três cabeças, corpo de Leão e cauda de serpente, filho de Tífon e de Equidna, guarda dos antros infernais, onde ladrava com voz fúnebre e terrível. Héracles, num de seus famosos trabalhos, conseguiu acorrentá-lo e levá-lo a Eurtisteu.

Centauros - Seres fortes e brutais, metade homens e metade cavalos, todos filhos de Ixão e de Néfele, à exceção de Folo de Quíron, que tiveram outra origem e caráter menos selvagem. Vivia nos bosques e nos montes da Tessália. Foram inimigos de Héracles e, durante as bodas de Pirítoo, tendo eles insultado a noiva, os Lápidas os aniquilaram.

Gorgones - Filhas de Fórces com Ceto, irmãs das Gréias. Eram monstros alados, horríveis, com serpentes no lugar do cabelos, petrificavam quem as olhasse nos olhos. Moravam na Lídia, perto do jardim das Hespérides. Eram três: Esteno (a violenta), Eríale (a errante) e Medusa (a dominadora).

Greias - Chamadas de "As Velhas Mulheres" quando vieram ao mundo já eram velhas. Na origem, era duas: Ênio e Péfredo, às quais, mais tarde juntou-se Deino. Possuíam um só olho e um só dente, comum as três, dos quais se serviam alternadamente. Viviam no extremo Ocidente, no País da noite, onde o Sol nunca resplandecia.

Grifos - Animais fabulosos, com corpo de leão e cabeça de águia, que a tradição colocava nos monte Rifeus, como guardas do ouro do Norte.

Hidra de Lerna - Serpente monstruosa, imaginada com sete, nove, cem ou mais cabeças que, quando cortadas renasciam se, na parte decepada, não se pusesse imediatamente fogo. Com o sangue da Hidra, Héracles impregnava as suas flechas. Infestava os campos nas proximidades de Lerna, nas vizinhanças de Argos. Foi transformada em Constelação austral.

Medusa - Uma das Górgones, a única que era mortal. Orgulhosa de sua beleza, ousou comparar-se a Atena, pelo que, a deusa, irada, transformou seus cabelos em serpentes e fez com que seu olhar petrificasse. Perseu conseguiu cortar-lhe a cabeça, olhando-a refletida num espelho. Do sangue da ferida nasceram Pégaso e Criásor. A cabeça de Medusa foi depois, dada pelo herói a Atena, que a colocou em seu escudo.

Ortros - Filho de Tífon e Equidna, irmão de Cérbero. Vigiava os Bois de Gerião, na ilha Eritéia, onde Héracles o matou.

Satiros - Também chamados de Silenosm são demônios agrestes represenantes masculinos da vida da natureza em suas variadas formas. Constituiam a parte mais turbulenta da comitiva de Dioníso. A imaginação popular concebia-os como seres maliciosos e sensuais e atribuiam à sua figura, orelhas e patas de cabra, rabo de cavalo e nariz achatado. Viviam geralmente nos bosques dançando e tocando instrumentos musicais, perseguindo as ninfas e bebendo rumorosamente.

Sereias - Seres fabulosos, metade mulheres e metade aves, demônios ou divindades marinhas, nascidas de Aqéloo e de Melpômene. Situadas, segundo a tradição, numa ilha rochosa no Mediterrâneo, cativavam com o seu canto os marinheiros e os faziam naufragar de encontro aos recifes. Ulisses ouviu-as depois de ter fechado com cera os ouvidos de seus companheiros e ter-se amarrado ao mastro da nau para resistir as suas tentações.

Tifon - O mais jovem dos filhos do Tártaro e de Géia, monstro fabuloso de cem cabeças, pai dos ventos impetuosos. Casou-se com Equidna, da qual teve Cérbero, Ortros e a Hidra de Lerna. Entrou em luta com Zeus pela posse do mundo, porém foi atingido pelo raio do deus e precipitado o Tártaro. Segundo outros, os deuses foram vencidos e fugiram para o Egito, onde se esconderam sob a forma de Animais: Zeus teria sido encerrando no antro Conrício, de onde Hermes o libertou. Retomando a luta, Zeus venceu o monstro e o sepultou vivo

Texto retirado da Internet

 

 

Voltar