O que é bruxismo

Prof. Jacob Bettoni

Bruxismo é um distúrbio do sono caracterizado pelo apertar dos dentes, em que as forças sobre a musculatura mastigatória são excessivas produzindo dor de cabeça, danos gengivais, desgaste do esmalte dental, dor disfuncional muscular da articulação temporomandibular. Geralmente é o dentista que detecta primeiramente o bruxismo.

O que é e o que não é bruxismo

Bruxismo já foi atribuído a enfeitiçamento por bruxa, deslocamento de energia invasora reprimida podendo ser ela um íncubo, um fluido, uma repressão inconsciente da libido e outras coisas constituindo todas variações do modelo passivista de mente humana. Uma incisão circular na calota craniana, para que a energia invasora esguichasse para fora, tal qual num poço petrolífero, deixando os dentes em paz é um exemplo estimulante para entendermos o que é psicoterapia baseada em deslocamento de repressão inconsciente.

No limiar do novo milênio superstições ficaram para trás. Sabe-se que bruxismo não é doença mental nem fenômeno inconsciente. É simplesmente um ato comportamental acionado por uma memória meganérgica ou megane, criada por seu próprio autor, a qual contém os arquivos de memória programadores daqueles movimentos mandibulares, sem cujos arquivos o ato comportamental denonimado de bruxismo não poderia ocorrer.

Fases do sono

Bruxismo pode ocorrer eventualmente em vigília e em todos os estágios do sono, mas predomina no estágio II e geralmente está ausente no estágio IV.

Origem do termo

Bruxismo vem da bruxaria, cujos manuais foram os mais completos e abrangentes estudos do sono até o século XV. O modelo teórico central desses manuais teve influência tão forte, que sobrevive até hoje camuflado de psicanálise, graças a Freud que, segundo ele próprio, copiou tais modelos, substituindo íncubo por id, possessa por histérica, pactuação por neurose, possessão por psicose. (Se alguém não gostar vá reclamar com Freud. Foi ele quem falou. Eu só estou informando)

O sonho era produzido por um íncubo (Freud chamaria de id) que penetrava no cérebro, assaltava o depósito de memórias, escolhia uma delas e capturava a imaginação passiva (projeção), a qual tinha que se resignar a fazer um teatro (conteúdo manifesto) de acordo com as intenções do grande invasor copulador (conteúdo latente).

A teoria dizia que o corpo era incorruptível, o que deixava para o íncubo invasor uma única via para penetrar na vítima e chegar até o cérebro: era pegar carona no útero (hysteron, hysteria) ejetável, que caminhava fisiologicamente corpo acima e produzia sufocação histérica na garganta. Esse hysteron foi a grande usina provedora de energia do pensamento aceita pela ciência, desde o século III AC., quando o pai da medicina, Hipócrates, criou o modelo teórico do útero ejetável, que Freud também copiou substituindo apenas os termos (útero por libido), mas mantendo a essência conceitual do axioma da energia invasora, continuando a atividade mental como um simples epifenômeno inconsciente das vicissitudes da energia invasora: nomina mutantur, numina permanent: mudam os nomes, permanecem as crenças!

Noerobica®, finalmente uma metodologia eficiente

Em Noergologia criamos uma metodologia extraordinária - Noerobica® - , cujo passo inicial é o check-up do hardware cerebral, tarefa que deve ser cumprida pelo respectivo especialista médico ou odontológico. Esse check-up antecede qualquer procedimento de noerobica®. É uma práxis tão salutar que, que por si só inibe a ocorrência da maioria dos erros que decorrerem dos atuais padrões do paradigma vigente da Psicologia.

No caso do bruxismo, o passo inicial é checar causas fisiológicas. Se existirem, são elas que devem ser atacadas, nenhuma outra. A supressão desse procedimento é uma maneira de enganar e prejudicar o cliente.

Cliente com bruxismo que procura profissional da área psicológica, deve ser previamente encaminhado ao especialista em polissonografia, a não ser que ele já o tenha feito, antes de qualquer abordagem. Na absoluta maioria dos episódios, bruxismo é associado a apnéia obstrutiva do sono ou até a problemas mandibulares, cuja solução resolve a maioria absoluta dos casos de bruxismo.

É muito perigoso, errado e psiatrogênico acolher cliente de bruxismo sem o check-up prévio. Pior do que isso é omitir esta fase e iniciar procedimento terapêutico supondo que bruxismo poderia ser ocasionado por velhas crenças como sintomas repressivos inconscientes, doença mental e demais coisas do gênero passivismo mental.

Tais abordagens prejudicam duplamente o cliente: a) a verdadeira causa não é atacada e continua progredindo; b) as segundas hipóteses, além de infundadas, induzem memórias forjadas, criando mais problemas complementares decorrentes de contaminação psiatrogênica.

Sobra uma questão: pode haver ocorrência de bruxismo mesmo depois que a causa fisiológica (por exemplo, apnéia) foi inteiramente removida? A resposta é: SIM.

Nesses casos, o procedimento da Noerobica® economiza passos, tempo e dinheiro, reduzindo ao mínimo as possibilidades de contaminações psiatrogênicas. Quem teve bruxismo decorrente de apnéia, pode continuar com ele mesmo depois de removidas as causas fisiológicas. Para que tal ocorra é suficiente que o cliente continue com medo de ter apnéia ou de produzir bruxismo. Noerobica® conhece que medo de ter apnéia ou bruxismo é uma das maneiras de imaginar respectivamente ou apnéia ou bruxismo.Temer alguma coisa é um eficaz método para incubar e criar exatamente a megane do que tememos.

Uma metodologia que dominamos profundamente é a da criação de memórias, incluindo as memórias meganérgicas ou meganes, com técnicas imagéticas. Esse processo é tão poderoso e eficaz que quando desconhecido e feito naturalmente era atribuído a fluidos, flechas, íncubos, libidos, inconscientes e outras estranhas e bizarras forças.

Ora, a imaginação é a grande criadora inclusive das meganes necessárias para a ocorrência do ato comportamental do bruxismo. Imaginação programa, vontade opera. É por isso que o medo de ter apnéia ou bruxismo cria a megane de produzir exatamente apnéia ou bruxismo. E como é sabido, a vontade nada resolve num embate com a imaginação, porque a imaginação sempre ganha da vontade: Experimente pedir ao cliente de bruxismo que jure com a mais férrea vontade: quero deixar de produzir bruxismo!

Freud desconhecia o que era diferença de potencial noérgico entre idéias e nem imaginava que tal diferencial estava presente no embate da imaginação versus vontade, que era extremamente recorrente na grande maioria dos seus célebres casos clínicos. Mas chegou perto: sabia que se tratava de algum tipo de energia, que de início denominou de libido. E bem mais tarde disse que tinha certeza que se tratava de alguma energia, mas não sabia qual era, sonhando com o dia em que ela fosse descoberta. Nós desfrutamos desse avanço histórico. Finalmente sabemos que a energia do pensamento é noergia, uma energia do sistema mente-cerebro, específica e não invasora.

Acertamos na jugular, quando desenvolvemos uma metodologia com imaginação ativa e criadora capaz tanto de induzir laboratorialmente a megane necessária para ativar o ato comportamental do bruxismo, quanto para desativa-lo: Noerobica®.

Observe que bruxismo sem causa fisiológica não é doença mental, Noerobica® não é psicoterapia é ginástica mental e o cliente com bruxismo não é doente mental, é um atleta meganérgico. Se duvidar, experimente você mesmo criar o sintoma de bruxismo e verá que não é tarefa fácil. Se desejar criar o hábito do bruxismo venha até o nosso instituto que ensinamos. É até muito simples: o processo é o mesmo que treina a sua desativação. Tanto para criar o hábito do bruxismo quanto para desativá-lo usamos imaginação ativa e criadora dentro de um protocolo cujos passos minuciosos estão descritos no nosso Manual de Noerobica®.

Mas lembre-se que imaginação não opera milagre, nem foge das leis gerais da natureza: uso fortalece, desuso atrofia. Não é com um simples fechar de olhos e imaginar uma única vez que você vai conseguir qualquer coisa. Em Noergologia não acreditamos em milagres caídos do céu, mas ensinamos como produzi-los com trabalho persistente.

Quando atingimos esse nível de compreensão torna-se fácil perceber que quem teve a capacidade de criar a megane que ativou o ato comportamental do bruxismo e consegue praticá-lo até mesmo dormindo, não é uma pessoa qualquer. Trata-se de alguém com excelente potencial mental, trata-se de um atleta meganérgico e não doente mental.

Tais pessoas podem ser comparadas ao karateka que mata alguém numa simples discussão de trânsito. Esse karateka não é um doente, é um atleta que faz péssimo uso das suas qualidades. Quem consegue criar uma megane tão eficaz a ponto de praticar bruxismo até mesmo dormindo, também é um atleta meganérgico que faz mau uso das suas habilidades. Vamos estabelecer um comparativo com a energia atômica: ela em si não é nem má, nem boa. Pode ser usada para fins pacíficos ou bélicos. De sorte que o problema não está na energia em si mas sim no uso que dela se faz. Analogamente o atleta meganérgico detém a capacidade de criar meganes eficientes, como bruxismo por exemplo, todavia faz uso incorreto da sua noergia.

Nesses casos a hipótese de doença mental deve ser inteiramente afastada. Pense melhor:uma pessoa doente, com déficit cerebral afetando imaginação e memória será incapaz de criar a megane necessária para ativar o ato comportamental do bruxismo.Resta conclusivo que o doente mental inconsciente do velho paradigma foi promovido a atleta meganérgico no paradigma da noergologia. Karateka e criador do bruxismo, ambos podem ser treinados para usarem correta ou incorretamente as suas habilidades. E isso se alcança com Noerobica® e não com psicoterapia.

Num convênio que o Instituto de Noergologia celebrou com Polissonografia constatamos que quatro ou no máximo cinco noerobicas® resolvem eficazmente a situação, deixam o cliente confiante, evitam os prejuízos financeiros e psicológicos das terapias intermináveis ou longas, além de produzir um sentimento de bem estar que afeta positivamente toda a vida do cliente.

Dentista

Pacientes com bruxismo crônico, que iniciaram o tratamento no polissonígrafo, passaram eventualmente pelo noergologista devem ser encaminhados ao dentista, contraindicando-se o uso de psicotrópicos.

Entre as opções odontológicas está o aparelho intra-oral de resina acrílica, a placa miorrelaxante, que proporciona uma posição articular estável, protegendo os dentes e toda a estrutura de suporte dos mesmos. As placas reduzem a atividade eletromiográfica dos músculos logo após a sua inserção e protegem os dentes do desgaste provocado pelo hábito parafuncional.

Atos anteriormente considerados "inocentes" , como mascar chicletes, devem ser considerados como estimulantes do bruxismo devendo ser desencorajados durante o tratamento.

Conclusão

Noergologia não é uma nova teoria, nem uma nova escola psicológica, nem uma nova práxis. É exclusivamente um NOVO PARADIGMA, um movimento constituinte para a Psicologia.

Pesquisadores do novo paradigma precisam criar novas teorias para compreender o mundo e sobre ele agir. Uma das novas teorias e práxis criadas no Instituto de Noergologia é Noerobica®.

Trabalhar com Noerobica® sob os auspícios do novo paradigma da Noergologia é mais trabalhoso, precisamos estudar mais, esquecer velhas crenças sobre o mecanismo da mente, compreender mais e sempre fazer uma abordagem multidisciplinar.

No caso do bruxismo trabalhamos com o especialista em polissonografia e com o dentista. Temos que ser honestos e na maioria absoluta dos casos indicar o portador de bruxismo para o respectivo especialista.

Em contrapartida esse especialista no futuro nos enviará pacientes de bruxismo, cujas causas fisiológicas foram removidas. Aí Noerobica® entra em campo assumindo a responsabilidade psiatrogênica, coisa que nem passa pela cabeça do militante do velho paradigma. Nós não temos aquela mamata da transferência inconsciente, figura que não sobrevive à primeira reclamação no Procon. Por outro lado desfrutamos da satisfação da rápida e eficiente solução para o problema do cliente. E de sobremesa compartilhamos sua felicidade.

SITE-NOERGOLOGIA - Recebido por e-mail

 

 

Voltar