VOLTAR

58 Poesias
  • Biografia de Mário Quintana
  • Ah! Os relógios
  • Alma errada
  • Alquimias
  • Amor e sintese
  • Ao longo das janelas mortas
  • Auto-retrato, O
  • Baú, O
  • Bilhete
  • Canção da garoa
  • Canção da vida, A
  • Canção do amor imprevisto
  • Carta
  • Coisas, As
  • Da Felicidade
  • Da Inquieta esperança
  • Das utopias
  • Data e dedicatória
  • De Repente
  • Degraus, Os
  • Disfarce
  • Dos milagres
  • Dos nossos males
  • Espelho
  • Este quarto...
  • Eu escrevi um poema triste
  • Eu queria trazer-te uns versos
  • Felicidade realista
  • Hai-Kai da cozinheira
  • Inscrição para um portão de cemitério
  • Jardim interior
  • Luar, O
  • Mapa, O
  • Morte que esta morta, A
  • Música
  • Olho as minhas mãos
  • Parece um sonho
  • Parceiros, OS
  • Perversidade
  • Poema da gare do astapovo
  • Poema
  • Poema, O
  • Poeminha do contra
  • Poeminha sentimental
  • Quem ama inventa
  • Recordo ainda
  • Rua dos cataventos, A
  • Se eu fosse um padre
  • Segundo poema didático
  • Soneto do amor como um rio
  • Soneto póstumo
  • Supremo castigo, O
  • Tão linda e serena e bela
  • Trova
  • Um dia
  • Velho do espelho, Os
  • Verdadeira arte de viajar, A
  • XIII
  • XVII