OBRAS DO AUTOR

Poesia

Pedra do sono. Recife: Edição do autor, 1942.
Os três mal-amados. Rio de Janeiro: Revista do Brasil, 1943.
O engenheiro. Rio de Janeiro: Amigos da Poesia, 1945.
Psicologia da composição com a fábula de Anfion e Antiode. Barcelona: O livro inconsútil, 1947.
O cão sem plumas. Barcelona: O livro inconsútil, 1950.
O rio ou Relação da viagem que faz o Capibaribe de sua nascente à cidade do Recife. São Paulo: Edição da Comissão do IV Centenário de São Paulo, 1954.
Dois parlamentos. Madrid: Edição do autor, 1960.
Quaderna. Lisboa: Guimarães Editores, 1960.
A educação pela pedra. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1966.
Museu de tudo. Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1975.
A escola das facas. Rio de Janeiro: Editora José Olympio,1980.
Auto do frade. Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1984.
Agrestes. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1985.
Crime na Calle Relator. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1987.
Primeiros poemas. Rio de Janeiro: Edição da Faculdade de Letras da UFRJ, 1990.
Sevilha andando. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1990.


Poemas Reunidos

Poemas reunidos. Rio de Janeiro: Edição de Orfeu, 1954.
Duas águas. Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1956.
Terceira feira. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1961.
Poesias completas. Rio de Janeiro: Editora Sabiá, 1968.
Poesia completa. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1986.
Museu de tudo e depois (Poesia Completa II). Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1988.
Poemas escolhidos. Seleção de Alexandre O'Neil. Lisboa: Portugália Editora, 1963.
Antologia poética. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1965.
Morte e vida severina. São Paulo: Teatro da Universidade Católica, 1965.
Morte e vida severina e outros poemas em voz alta. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1966.
Morte e vida severina. Rio de Janeiro: Editora Sabiá, 1969.
O melhor da poesia brasileira (Drummond, Cabral, Bandeira, Vinicius) Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1979.
João Cabral de Melo Neto. Seleção de José Fulaneti de Nadal. São Paulo: Abril Educação, 1982.
Poesia crítica. Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1982.
Morte e vida severina. Litografias de Liliane Dardot. Recife: Grandes Moinhos do Brasil S/A, 1984.
Morte e vida severina e outros poemas em voz alta. Recife: Moinho Recife, 1984.
Os melhores poemas de João Cabral de Melo Neto. Seleção de Antônio Carlos Secchin. São Paulo: Global Editora, 1985.
Poemas pernambucanos. Centro Cultural José Mariano. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1988.
Poemas sevilhanos. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1992.

Prosa

Considerações sobre o poeta dormindo. Recife: Renovação, 1941.
Joan Miró. Barcelona: Editions de l'Oc, 1950.
Joan Miró. Rio de Janeiro: Cadernos de Cultura do MEC,1952.
O Arquivo das Índias e o Brasil [pesquisa histórica]. Rio de Janeiro: Ministério das Relações Exteriores, 1966.
Poesia e composição. Coimbra: Fenda Edições, 1982.

Filmes

O curso do poeta. Produtores: Fernando Sabino e David Neves. Roteiro e direção de Jorge Laclette, 1973.
Morte e vida severina: um filme documento. Direção de Zelito Vianna, 1976.
O mundo espanhol de João Cabral de Melo Neto. Produção e direção de Carlos Henrique Maranhão, 1979.
Morte e vida severina. Direção de Walter Avancini. TV Globo, 1981.
O ovo da galinha. Recitado por Ney Latorraca. TV Globo, 1980.
Duas águas - Tv Cultura SP - 1997

Discografia

Poesias - Murilo Mendes e João Cabral de Melo Neto. LP 010. Festa, Discos Ltda., 1956.
O Teatro da Universidade Católica de São Paulo apresenta Morte e vida severina.
P.632.900 L., Nancy, 1966.
Morte e vida severina - Música de Chico Buarque de Holanda, CAR 4002, Caritas.
João Cabral de Melo Neto por ele mesmo. IG 79.029. Festa, Série de Lux. s/d.
Poemas de João Cabral de Melo Neto. 2 discos. Som Livre, 1982.

Textos Extraídos do Site www.TvCultura.com.br

Outros Textos da Biografia Especial de João Cabral de Melo Neto

O poeta e sua história
O poeta, a paisagem e a poesia

E a poesia Visual
Ambiente cultural e as primeiras poesias
Poeta e diplomata
Influências de Sevilha
Um Lirismo contido
Ensinar e aprender